Crítica do desenvolvimento e da colonialidade

A colonialidade constitui o outro lado da modernidade, assim como a colonização, o outro lado da modernização ocidental. Se a análise da modernidade pelo lado de dentro das fronteiras do capitalismo permite se mirar as luzes da emancipação, a análise da modernidade pelo lado de fora, da colonialidade, permite se entender a lógica do obscurecimento e do genocídio. A TCC constitui o esforço de revelar a emergência de novas, plurais e diversificadas produções intelectuais no Norte e no Sul globais que estão permitindo superar as fronteiras da modernidade e da colonialidade para revelar as heterotopias possíveis para o humano. – Paulo Henrique Martins

Itinerário de decolonialidade de uma prática acadêmica (Entrevista)

Nesta entrevista cedida a revista Cronos, dedicado ao tema (De)Colonialidades, Fronteiras e Saberes, Paulo Henrique Martins – Sociólogo e Professor Titular da UFPE – faz-nos compartilhar de sua vivaz narrativa, com foco em sua traje- tória intelectual, mais particularmente, no trecho onde o tema da América Latina ganha, gradativamente, realce em sua produção acadêmica. Ao tempo que narra suas próprias experiências intelectuais, ele vai desatando os fios temáticos da descolonialidade e pós-colonialidade na América Latina.

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: