Sobreviventes do desenvolvimento

O livro "Os dois Brasis" de J. Lambert ficou famoso na época de sua publicação (1967) ao propor que o desenvolvimento do "Nordeste rural atrasado" deveria passar pela possibilidade de adoção de políticas como aquelas do "Centro-Sul industrializado e urbanizado." A proposta do economista francês lembra aquela, anterior, de W. Rostow, de que o desenvolvimento... Continuar Lendo →

Encruzilhadas racistas (Artigo de Jornal)

No Brasil, muitos identificam o racismo a preconceitos contra afrodescendentes. Contudo, o assunto é mais complexo. Além de envolver estes e outros grupos étnicos como os indígenas, ele também está correlacionado com preconceitos contra pobreza e trabalho manual. Historicamente, o racismo está associado a disputas tribais, religiosas e geográficas. A divisão entre "civilizados e bárbaros"... Continuar Lendo →

Corporativismo militante (Artigo de Jornal)

O corporativismo é um fenômeno presente em todas sociedades históricas. Ele constitui o ethos de grupos de interesses que compartilham visões próprias de mundo e sentimentos de autodefesa, nas esferas comunitárias, privadas e públicas. As corporações apresentam diversos modelos - étnicos, religiosos, sindicais, políticos, militares - sempre buscando fortalecer alguns emblemas, ritos e símbolos que... Continuar Lendo →

Pensando heterotopias no contexto pós-colonial: convivialismo, amor e bem-comum (Artigo em periódico)

Resumo: Na busca das heterotopias há, em curso, novas ideias e práticas que apontam para os caminhos a serem seguidos como observamos tanto no Sul-Global como no Norte-Global. Há, assim, uma aproximação entre o debate convivialista e aquele pós-colonial que deve ser ressaltada pois permite fazer a ponte entre as críticas da crise feitas simultaneamente... Continuar Lendo →

Três saídas para o Brasil

Com a "desglobalização", o mundo está em busca de saídas. H. Kissinger, ex-secretário de Estado dos EUA vê três saídas para a guerra na Ucrânia: na primeira, o conflito se encerra com a vitória da Rússia, que ficaria com o controle das áreas invadidas; na segunda, os ocidentais tentam expulsar os russos da Criméia, o... Continuar Lendo →

O Brasil na bacia de almas (Artigo de Jornal)

Antigamente, nas reformas dos cemitérios, os restos mortais não identificados eram colocados num grande recipiente chamado "bacia de almas". A expressão é utilizada até hoje como metáfora para o ato de dar destino a algo sem muito valor ou, então, algo descartado por preço abaixo do mercado. O tema é importante para entendermos que o... Continuar Lendo →

Vidas sem destinos (Artigo de Jornal)

"Estado de exceção" (Agamben, 2015) é um modo de gerir o poder mediante dispositivos abusivos que suprimem a legalidade e ameaçam os direitos de cidadania e a democracia. Este estado de exceção também aparece como uma "necropolítica" (Mbembe, 2011), política de morte que toma forma de um culto macabro. A violência letal canalizada pela repressão... Continuar Lendo →

Democracia de conveniência (Artigo de Jornal)

O capitalismo precisa da democracia? A resposta é incerta. Verdade que capitalismo e democracia avançaram juntos em alguns momentos, nos últimos dois séculos, mas não se inspiram em mesmos ideais. O privado teme o ideal redistributivista do público. Historicamente falando, o capitalismo lida com dificuldades com a participação social, pois isso implica compartilhar decisões estratégicas... Continuar Lendo →

Revisitando os fundamentos da modernidade periférica: dádiva, mercado e pacto colonial (Artigo em periódico)

Resumo: As particularidades das modernidades nas atuais sociedades pós-coloniais na América Latina se explicam a partir da análise do caráter paradoxal dos pactos coloniais. Tais paradoxos resultam da variedade de lógicas instituintes do imaginário sócio-histórico da colonização, em particular aquelas da dádiva e do interesse mercantil, que influíram sobre os processos de desenvolvimento periféricos. Diríamos... Continuar Lendo →

Um site WordPress.com.

Acima ↑